Juro que tentei continuar aqui, mas não deu. Não gosto mais do tumblr, a tristeza das pessoas daqui me deixa mal. Em toda conversa é alguém reclamando da vida e blá blá bá. Em todo texto é uma melâncolia, em cada postagem existe "litros" de drama. Cheguei a conclusão que só se importam com números - seguidores, postagens, asks e o diabo à quatro - e, com isso, se esquecem da poesia. Bem, sem mais delongas, deixo aqui o meu Adeus. Dessa vez eu não volto. Fiquem à vontade para dar unfollow.

"Poesia é viver, é amar, é errar e acertar. E não apenas ser um pseudo-poeta em uma rede social."

E por último, deixo meus agradecimentos para as duas pessoas que mais me identifiquei aqui, mesmo que conversando muito pouco. Como dizia Mário Quintana, poesia não foi feita para ser entendida e sim, sentida. E foi isso que senti por vocês duas:

Elisa Bartlett: tua poesia me encanta, me fascina, me instiga. Aonde estiver estarei te lendo. Desde o primeiro minuto que entrei aqui te admirei. Tens grande talento. Bailarina, voz doce, poeta e outras mil qualidades. Ainda vou ler um livro seu de capa a capa. Um milhão de beijos, e felicidade sempre.

Laura: só tenho a agradecer por todas as risadas, seus xingamentos em forma de elogios e seus palavrões, os quais me provocavam ataques de risos. Você é incrívelmente incrível. Desejo que realize todos os seus sonhos, ganhe o mundo. Ainda vamos casar, ter dois filhos e um cachorro. Aguarde hehehe. Beijão!

Aos demais: foi bom enquanto durou. A vida é feita de coisas passageiras. De mudanças. Se não fossem as mudanças, a vida não se chamaria vida e sim, monotonia. Agradeço às 77 mil pessoas que me acompanharam até aqui. Sejam felizes. Vão tomar um sol, sentir a brisa tocando o seu rosto, namorar, fazer amigos. Não fiquem apenas na frente de um computador como se o mundo se resumisse apenas nisso. Pois a vida pode passar e você não se dar por conta.
Mil beijos, Igor Hastings.